Despadronizando a educação

ed6Para que serve aprender conceitos matemáticos como raiz quadrada e a fórmula de Bhaskara? Certamente, você já fez essa e outras interrogações sobre método de ensino tradicional. E claro, é bem provável não obteve respostas que considerasse válidas.

Quando estudei os princípios de educação da Escola da Ponte, foi um dos momentos de maior excitação em minha vida acadêmica. Um espaço onde o aprendizado privilegia a cidadania foi, e ainda é, o meu mundo ideal.

Sem carteiras enfileiradas, provas, séries, lousa verde e giz de cera. O estudante é o protagonista. Os pais, educadores e toda a comunidade, são parceiros que colaboram com a elaboração do projeto educacional que a Escola desenvolve.

As reconstruções são permitidas e bem-vindas, ao mesmo tempo que as transformações estão em constante movimento. Isso é liberdade responsável e empodera a sociedade que se permite envolver com a proposta.

Quebrar padrões não é uma tarefa fácil, mas tem uma galera empenhada nisso e merece todo o nosso apoio. Vale acompanhar, conhecer e fazer parte de alguns projetos solidários que estão crescendo no Brasil.

cinese

O Cinese, por exemplo, aposta no poder do encontro. Por meio deles, você ensina o que sabe e aprende coisas novas. É um espaço totalmente colaborativo, itinerante e acessível. Nos diversos tipos de encontros, pode-se entender o seu mapa astral, descobrir e valorizar o seu tipo físico, aprender sobre cubismo e dadaísmo. Você pode descobrir e revelar conhecimento.

laboriosa89

Um ambiente para conectar pessoas que querem viver, aprender e se divertir em rede. Esse é o Laboriosa 89. O visitante pode realizar diversos trabalhos, explorar caminhos, aumentar possibilidades, expressando-se com liberdade, sem análise prévia ou autorização. A troca de experiências é ilimitada. O lugar é seu e de todo mundo, então todos devem cuidar.

énois

Utilizando conceitos de jornalismo, design, cinema, fotografia e tecnologia, a escola Énois forma jovens entenderemos de mundo. Com uma didática diferente dos colégios padrões, o projeto ajuda na melhoria do desempenho escolar, ampliando diálogos e ajudando nas melhores escolhas para o futuro.

nós.vc

Com o Nós.vc é possível aprender e ensinar ao lado de pessoas apaixonadas pelas mesmas coisas. Eles acreditam no aprendizado colaborativo através de encontros inspiradores. Com eles você aprende e ensina o que quiser, com qualquer pessoa e em qualquer lugar.

A internet é uma grande aliada, facilitando a divulgação dos conteúdos e atividades, além de possibilitar a participação de muitas pessoas. Grupos online permitem a construção de diálogos, trocando ideias, tornando a sociedade mais participativa, enriquecendo e ajudando na elaboração das metodologias adotadas pelos outros grupos.

Quanto mais pessoas tiverem acesso a estas oportunidades, mais podem ultrapassar as barreiras em que a internet muitas vezes não alcança. Comunidades mais carentes também precisam desta liberdade de aprendizado, para que a construção do saber seja literalmente democrática e participativa.

O futuro da educação é ficar longe de aprendizagens arcaicas, uniformes ou estáticas. A despadronização do sistema educacional vigente é um caminho excitante e criativo; é a possibilidade de levar à livre e constante transformação do ser humano.

_ _

Foto capa: https://www.flickr.com/photos/jonastana/

Anúncios

2 comentários sobre “Despadronizando a educação

  1. Jessica, muito legal seu artigo. Trabalho com Educação há alguns anos e tive a oportunidade de conhecer um estudioso desses assuntos, o professor Sugata Mitra, indiano, que desenvolveu um projeto na Índia pelo MIT e escreveu o livro “Hole in the Wall”, no qual ele relata a experiencia com crianças e seu primeiro contato com a internet. Vale assistir as palestras dele no TED.
    Também conheci o José Pacheco, que trouxe essa ideia da Escola da Ponte para o Brasil e hoje desenvolve trabalhos acho que na Unicamp. Ele é super acessível e gosta muito de conversar sobre o tema.
    E o que vejo com relação a esse futuro? Mesmo que os empresários e decisores não entendam ou concordem com o modelo, eles vão acabr sendo engolidos por essa dinâmica.

    A Fundação Roberto Marinho está criando a Escola do Olhar, que segue essa filosofia. Vai ser no Museu do Amanhã, que ainda está sendo construído no Rio, perto do Museu de Arte, na Praça Mauá.

    Curtir

    1. Oi, Graziella! Que legal ter tido a oportunidade de conhecer o José Pacheco! Deve ter sido enriquecedor.
      Obrigada pela dica das palestras no TED, vou pesquisar e assistir.
      Ainda sobre o tema, esta semana assisti o documentário Tarja Branca, que trata muito sobre o brincar na educação. Achei bem interessante! Se ainda não viu, fica mais uma dica!
      Valeu pela troca de experiências 🙂

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s